dengue

O Ministério da Saúde confirmou 596,38 mil casos de dengue, até o dia 10 de junho deste ano. O número de casos não confirmados é ainda maior: 1,127 milhão. Houve um grande salto em relação a 2018 que apresentava 173,63 mil casos prováveis, no mesmo período. Também o número de mortes por dengue neste ano é mais do que o dobro de 2018. Até aqui, foram registradas 366 mortes, ante 139 no mesmo período do ano passado.

Ao contrário do que acontece no restante do país, o norte está entrando no chamado Verão Amazônico, onde as temperaturas aumentam consideravelmente. Segundo pesquisa da Unicamp, o calor altera o comportamento do mosquito Aedes aegypti. As altas temperaturas o deixam mais “acelerado”, ele pica mais pessoas e bota maior número de ovos. Por conta disso, é importante que Corretores de Imóveis e Imobiliárias permaneçam atentos aos cuidados com os imóveis para alugar ou vender que estão sob sua responsabilidade, para que esses números assustadores não aumentem ainda mais.

É fundamental ficar de olho e evitar ralos expostos, vasos sanitários abertos, torneiras com vazamentos, caixas d'água sem tampa, vaso de plantas, além de retirar recipientes que acumulem água dos quintais, ou seja, manter o local limpo e sem risco. E claro, se ainda assim avistar um criadouro do mosquito, avisar imediatamente os agentes de saúde. 

"O Corretor de Imóveis tem acesso direto e fácil a esses imóveis fechados que estão sob sua responsabilidade, por isso não encontra obstáculo algum. Com isso, ele está cumprindo com seu dever de cidadão e prestando um importante papel na sociedade", afirma o Presidente do CRECI/RO, Júlio César Pinto.